novela
pantanal  
 
 
 
DEZ  PERGUNTAS SOBRE O PANTANAL: 
O QUE  ACONTECE  NA NOVELA...
 
 
A reprise da novela acabou, mas os encantos
do Pantanal continuam lá - para todo turista ver.
Embarque na chalana, observe o voo dos tuiuiús
e, se der sorte, entenda coisas que só a Juma
Marruá saberia: 
Fernanda Castello Branco
 
- Top 10 : coisas que valem a pena no Pantanal
- As diferentes rotas do Pantanal
 
1 – É possível nadar nos rios sem problemas? 
 
Sim, é possível nadar nos rios. Mas é preciso
mesmo ter cuidado com alguns animais, como
jacarés, piranhas, ariranhas e arraias. É preciso
conhecer muito bem os rios antes de nadar e
sempre estar acompanhado por um guia da
região. As piranhas são perigosas em rios onde
a concentração é muito grande. Por isso em
lugares onde costumam limpar peixes, não é
aconselhável nadar, pois elas podem mordê-lo
por engano. Nos rios onde dão alimentos aos
jacarés e eles estão acostumados com o convívio
humano, também pode ser perigoso, pois eles
não fogem, não têm medo. As ariranhas sempre
apresentam risco, inclusive quando estão com
filhotes. E em alguns rios existem arraias: elas
costumam ficar enterradas em águas rasas, à
espera de alimento. Por isso, ao entrar em rios,
recomenda-se caminhar rastejando os pés no
fundo para evitar pisar nela e levar uma ferroada. 
 
2 – Como é o transporte de chalana? Há passeios
que demoram dias? Tem quarto nelas? Onde se
dorme? 
 
Chalanas são embarcações utilizadas apenas
para passeios de geralmente meio período e para
pescas nos rios pantaneiros. Para os passeios
que demoram dias são utilizadas embarcações 
chamadas Barco-Hotel, que têm uma ótima
infraestrutura, com apartamentos, spa,
churrasqueiras e outras coisas mais. São feitos
pacotes para este tipo de turismo (pesca esportiva
nos rios pantaneiros).
 
3 – É perigoso tentar explorar as matas por conta
própria? 
 
Sim, é perigoso. É aconselhável sempre estar com
um guia que conheça a região. Realmente você
pode ser presa de um jacaré ou de uma onça.
 
4 – Realmente dá para ver cobras e jacarés nos
passeios? 
 
Sim. É muito fácil ver jacarés. Já as cobras
pedem um pouco mais de sorte do turista. 
 
5 – O que se come no Pantanal? Há alguma
comida típica que seja característica da região? 
 
Nas fazendas e pousadas, onde a atividade
turística é desenvolvida, as comidas servidas aos
turistas são sempre comidas típicas da região. As
comidas típicas do Pantanal sofreram fortes
influências indígenas, paraguaias e bolivianas.
O Pantanal englobou pratos como o puchero, o
locro (cozidos de carne), sopa paraguaia (torta de
milho e queijo), chipa, peixada pantaneira, caldo
de piranha, caldo de mocotó, churrasco
pantaneiro, macarrão boiadeiro (misturado com
carne seca), carne de sol na moranga, arroz
carreteiro, entre outros.
 
6 – Há eventos regulares, como uma festa típica? 
 
O Pantanal tem a festa do peão boiadeiro, a festa
do Divino Espírito Santo, de São Benedito, entre
outras.
 
7 – Dá para fazer aqueles passeios de aviãozinho?
São caros?
 
Sim. A média de preço é de R$ 900 a 1200 a hora
de voo, em aviões de quatro lugares. 
 
8 – É possível ficar hospedado em fazendas do
Pantanal? 
 
Sim, no Pantanal encontram-se diversos hotéis-
fazendas, pousadas e chalés com ótima infra-
estrutura e que desenvolvem a atividade turística.
Há, ainda, alguns hotéis que são especializados
em pesca. Basta procurar uma agência de viagens
que venda Pantanal. Mais informações: Ygarapé
Tour 
 
9 – O cenário da novela “Pantanal” foi
preservado? Tem algum passeio que mostre isso? 
 
Sim, ele foi preservado e vendido para uma ONG,
a International Conservation. A ONG desenvolve
pesquisas em parceria com a Earthwath Institute.
Antes de o cenário ser vendido, era desenvolvida
a atividade turística no local, porém encontra-se
suspensa por um tempo. Mais informações:
Fazenda Rio Negro 
 
10 – O que não se deve deixar de levar em uma
viagem ao Pantanal? 
 
Protetor solar, repelente, roupas leves de manga
comprida, chapéu ou bonés, botas e/ou sapatos
tipo coturnos, calça comprida, cantil, lanternas,
capa de chuva, roupas de banho, mochila pequena
e máquina fotográfica.
 
Leia mais sobre: Pantanal.
› Você tem mais informações? Envie para Minha
Notícia, o site de jornalismo colaborativo do iG
 
==========================================
 
 
Dez motivos para conhecer o Pantanal 
 
De tempos em tempos, o Pantanal volta às telas em
forma de novela. Conheça as paisagens desse local
que serviu de cenário para uma das produções da
televisão brasileira de maior sucesso na década
de 90: 
Eduardo Vessoni 
 
- Pantanal oferece diferentes opções de roteiros
- Tudo o que você sempre quis saber sobre o
Pantanal Transpantaneira
 
Essa estrada de 149 quilômetros, que liga Poconé
a porto Jofre, é destino de quem quer ver a
variedade da fauna local como aves, capivaras,
jacarés e onças. A esburacada e empoeirada via
de acesso às atrações naturais da região pode ser
visitada nos meses de seca, entre maio e setembro.
 
Pesca
 
O Pantanal é o paraíso para os amantes da pesca
esportiva. Cidades como Cáceres e Aquidauana
têm uma oferta variada de hotéis dedicados ao
esporte e equipados até com pista particular para
pousos de pequenos aviões. Dourados, bagres e
pacus estão na lista dos peixes mais procurados
da região.
 
Safári
 
Agências locais costumam oferecer saídas
fotográficas pela região onde a principal atração
é a avistagem de animais e observação da flora
pantaneira. Os passeios, geralmente em veículos
4x4, incluem cavalgadas, caminhadas e
hospedagens em fazendas.
 
Piracema
 
Entre os meses de outubro e março, os peixes
do Pantanal nadam contra a correnteza para a
preservação das espécies nos rios da região.
Durante o período em que ocorre esse fenômeno,
conhecido como piracema, a pesca fica proibida
em rios como o Paraná.
 
Focagem de jacarés
 
Quando o sol se põe, os jacarés, animais de
hábitos noturnos, começam a dar as caras nos
rios e lagoas da região (para alegria dos turistas
aventureiros). A maior extensão úmida do mundo
ganha novas cores à noite com o brilho dos olhos
desses animais em contato com a luz das lanternas
dos visitantes que não se cansam de "caçá-lo" nas
águas do Pantanal.
 
Parque Nacional do Pantanal Matogrossense
 
Nesse parque de mais de 135 mil hectares, criado
em 1981, o turista pode conhecer a rica fauna da
região que inclui animais como répteis e mamíferos
de pequeno porte. Com sorte, ainda é possível
avistar jaguatiricas e onças. O parque fica em
Poconé, no sudoeste do Mato Grosso, e a melhor
época para visitá-lo é no período de seca.
 
Vale do Guaporé
 
Essa imensa área de mais de 1 milhão de hectares
é o portal da Amazônia e marca o encontro de três
ecossistemas: o Pantanal, o Cerrado e a Amazônia.
A região do Guaporé é considerada o maior vale
botânico do Brasil. 
 
Plantas aquáticas
 
Não é só a fauna pantaneira que fascina os turistas.
As plantas aquáticas também são atrativos naturais
(e turísticos) que o visitante não pode deixar de ver.
Os camalotes, como são conhecidas, podem ser
vistos junto com a correnteza dos rios que carregam
consigo espécies como aguapés e a erva de Santa  
Luzia. A vitória-régia é outra planta aquática
comumente encontrada na região.
 
Cavalgadas
 
Pode ser uma alternativa para conhecer as áreas
alagadas do Pantanal. Os passeios costumam ser
acompanhados por peões locais e podem durar até
uma semana.
 
Mergulhos
 
Quem quiser conhecer de perto, literalmente, a
fauna e a flora aquáticas da região podem
mergulhar de cabeça nos programas que as
agências locais organizam para mergulhadores
profissionais e amadores. As águas cristalinas da
região são perfeitas para a prática. 
 
Leia mais sobre: Pantanal - destinos nacionais.
 
 
 
 
 
 
                       

 



Leia mais: http://poesiasevida.webnode.com.br/voc%c3%aa%20sabia-/novela-pantanal/
Crie seu site grátis: http://www.webnode.com.br